“Tem dinheiro em caixa, mas assalta o bolso dos soteropolitanos”, dispara Afonso Florence  

“Tem dinheiro em caixa, mas assalta o bolso dos soteropolitanos”, dispara Afonso Florence  

O prefeito ACM Neto declarou, durante seminário no Rio de Janeiro, que Salvador possui R$ 1,5 bilhão em caixa e criticou “a divisão do bolo tributário”. Para o deputado federal Afonso Florence (PT), “ele fala em corte de gastos, mas a conclusão que se chega é que a arrecadação de tributos e multas pode ter peso importante nesses números”.

Um dos motivos da arrecadação deste montante é o aumento abusivo e ilegal do IPTU: “a população de Salvador quer saber de baixar o IPTU, que hoje custa os olhos da cara e foi aumentado por ACM, de forma ilegal”, afirma Florence.

Outro fator, levantado pelo parlamentar, é a “indústria de multas” que a capital baiana se transformou. De acordo com números do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Salvador, em 2012, na gestão de João Henrique, a arrecadação municipal com infrações foi de pouco mais de R$ 33 milhões. Em apenas quatro anos da gestão de ACM Neto, ainda sem contabilizar 2016, foram arrecadados mais de R$ 162 milhões em multas de trânsito, cinco vezes mais do que o seu antecessor.“ACM Neto implantou em Salvador uma indústria de multas ilegal, é um escândalo, um verdadeiro assalto aos soteropolitanos”, ressalta Afonso.

Florence diz que é alarmante que, de acordo com o Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, em janeiro de 2017, a cobertura da atenção básica em Salvador ter ficado em 29,91%, a penúltima capital do país. “Salvador tem baixíssima cobertura de saúde básica e ACM não investe prejudicado o povo que mais precisa. Se tem dinheiro em caixa, por que não investir na Saúde do povo pobre?”, critica Florence.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *