Democratização da mídia, meu pirão primeiro

Democratização da mídia, meu pirão primeiro

A democratização da mídia tem sido um dos grandes entraves do segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff. Paradoxal e ironicamente, lideranças filiadas aos partidos Partido do Movimento Democrático Brasileiro, Partido da Social Democracia Brasileira e Democratas são os maiores e fervorosos opositores ao projeto.

Curiosamente, os bons exemplos de Estados Unidos e Europa dificilmente se seguem aqui. Nos EUA é proibido que uma mesma empresa controle veículos impressos e eletrônicos na mesma cidade ou região. Além disso, há limites em relação ao número de canais de TV e estações de rádio controladas pela mesma empresa; a opinião pública é levada em consideração sobre o conteúdo a ser transmitido. No Reino Unido, as emissoras de TV e rádio são reguladas pelo Ofcom, responsável pela garantia da diversidade na programação, prevenção e proteção a tratamentos desiguais em programas, além de os Estados apoiarem iniciativas que sozinhas não teriam se sustentariam no livre mercado, mas que são úteis para a pluralidade de opiniões.

Na França, veicular informações sem provas, difamar, caluniar pessoas, ou incitar o crime, a discriminação, o ódio e a violência (psicológica também) é proibido, com possibilidades de prisão e detenção. Há o “direito de antena”, no qual diversos movimentos da sociedade civil transmitem conteúdos aos expectadores.

No Brasil, um dos principais objetivos da regulação da mídia é limitar a propriedade cruzada dos meios de comunicação, evitando o monopólio ou oligopólio, já que poucos grupos controlam o debate público, a programação de rádio e TV, o conteúdo a ser transmitido, e até espetáculos como partidas de futebol, prejudicando, alienando, e influenciando no espaço da representação das vozes na sociedade, na liberdade de escolha e até mesmo individualidade de cada pessoa.

E a Bahia, o que tem a ver com tudo isso? Bom… sendo mais específico, talvez a TV Bahia (TV Oeste, TV Santa Cruz, TV Subaé, TV São Francisco e TV Sudoeste em diferentes regiões do Estado), Globo FM, Bahia FM, FM Sul, Correio da Bahia, Gráfica Santa Helena, iContent, iBahia.com, Construtora Santa Helena saibam alguma coisa a respeito do tema e tenham interesse em se manifestar sobre a discussão, afinal, nesses meios tem muita gente ligada ao prefeito da terceira maior cidade do Brasil, membro de um partido que se chama Democratas! Talvez, ele acredite ser uma questão interessante quiçá ache boa a ideia de democratizar a mídia para que todos tenham espaço para expor seus conteúdos, afinal foi-se o tempo da farinha pouca, meu pirão primeiro.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *